A Fila

28 03 2008

É impressionante a nossa fissura por fila. Mas quem inventou a fila? Onde nasceu a fila? Será que foram os elefantes indianos que inventaram e por isso chamamos de fila indiana? Mas antes disso os dinossauros não se dispunham em fila pra caminhar em bando?

Dúvidas à parte, a verdade é que as grandes difusoras dessa forma de organizar-se, conhecida como fila indiana, no mundo são as formigas. Depois que as formigas, criaturinhas no mínimo antenadas, perceberam que tudo fica mais fácil em fila o mundo não foi mais o mesmo.

A fila é a prova de que quem vai chegando vai ficando atrás, menino educado é assim que faz, a gente sabe disso desde pequeno. A fila é a prova de que somos sempre o primeiro, o décimo, o qüinquagésimo em alguma coisa. A fila é a maneira de dizermos aos atrasadinhos o nosso sinto muito, é a forma de não nos atropelarmos ao entrar no ônibus. A fila está presente em toda a vida humana, mas na vida do pobre a fila é um carma, um estigma e às vezes até um vício. Somos loucos por uma filinha!

            A nossa mania começa quando somos ainda espermatozóides, quando corremos em uma fila onde o primeiro não é necessariamente o vencedor. Quando esse sufoco passa, quem entra na fila é a nossa mãe, umas das filas mais temidas do Brasil, a fila do SUS. A nossa próxima grande fila é a de irmãos, uma escadinha de pelo menos cinco. Depois disso é fila pra se matricular na escola, é fila pra namorar o garoto mais popular da turma, fila pra lanchar, fila no banco, no supermercado, no hospital, pra arranjar um bico, pra receber dinheiro, pra ser admitido, pra ser demitido, pra receber seguro desemprego, pra se aposentar, pra mais uma vez ir ao hospital, pra morrer e pra ser enterrado.

            Ô porre de tanta fila!

Mas como poderia ser diferente a nossa vida de habitantes do terceiro planeta de uma fila de nove?

            Um dia eu vi uma grande fila no centro da cidade, perguntei ao último da fila do que se tratava e ele disse:

– Eu não sei não! Eu tava passando e vi esse povo na fila, aí eu entrei também, né moça?

Fui fazendo a mesma pergunta aos outros, e as respostas eram as mesmas. Fiquei invocada e perguntei ao primeiro da fila:

– Vem cá moço, o que é que o senhor tá fazendo aí parado? É fila pra quê?

– Eu não sei minha fia, eu machuquei meu pé, parei aqui, e esse povo doido parou aí atrás de mim.

Sabe o que eu fiz? Entrei na fila, por via das dúvidas!

É claro que isso é mentira minha. O que vale é a minha intenção de mostrar a nossa obsessão por fila.

            E já que estamos falando em fila… Por obséquio, quem é o próximo?

Anúncios

Ações

Informação

One response

28 03 2008
meucotidiano

Bota verdade nisso, numa fila do smart card o povo fica com a cara balançando enquanto o caixa grita: priximoooooooooooooo
Ninguém merece, ô povinho que gosta de uma fila
Bjokas adorei amiga

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: